Quarenta anos de código de barras

Impressão em código de barras tem sido uma boa oportunidade para o setor de outsourcing de impressão. No final de junho, o primeiro produto a ser digitalizado com o código de barras GS1 completou 40 anos. Quarenta anos atrás, em junho de 1974, Sharon Buchanan foi a primeira caixa a digitalizar um código de barras da GS1 em um supermercado Marsh, em Troy, Ohio (EUA). O produto era um pacote de 10 chicletes Juicy Fruit Wrigley e custou 67 centavos de dólar. Hoje são bilhões de digitalizações que passam pelos caixas de todos os estabelecimentos de comércio no mundo todo. Foi uma invenção que teve um forte impacto, internacionalizando e aprimorando a experiência de compra, comentou Tim Smucker, Vice-Presidente e Presidente Emérito do Conselho de Administração da GS1, uma organização global sem fins lucrativos, que desenvolve e mantém o sistema de normas da cadeia de suprimento mais utilizado no mundo, o código de barras. Para o setor de outsourcing de impressão este é um nicho de mercado a ser melhor explorado, afirmam os especialistas. Fabio Augusto de Oliveira, gerente de Canais da Zebra, uma das principais fabricantes de equipamentos para leitura e impressão em código de barras destaca que “As impressoras térmicas têm sido incluídas em contratos de outsourcing de impressão”. E dá a dica: é uma boa oportunidade para oferecer além das impressoras, garantia estendida, suprimentos (etiquetas e ribons) e consumíveis (cabeças de impressão).